1. A Realização de Bruna - Capítulo 4 - Vícios


    Encontro: 28/06/2018, Categorias: Oral Incesto Interraciais Heterossexual Autor: Bruna Camila, Fonte: CasadosContos

    Cap. 4 – Vícios
    
    Agora, com acompanhamento médico, tudo tinha voltado à normalidade. Isabel e Daianne não voltaram a ser chamadas na escola.
    
    Segundo o psicólogo, sua filha sofria de um transtorno.
    
    Ela era ninfomaníaca.
    
    Ou seja.
    
    Era viciada em sexoAlgumas semanas depois disso, Isabel chama sua irmã para visitá-la.
    
    Bom. Não só a sua irmã.
    
    Mas o Tiago e o Ângelo também.
    
    Ângelo.
    
    Isabel não gostava daquele menino. Sentia que tinha algo de estranho com ele.
    
    Ela chegou a falar com a Bruna. E sua irmã replicou que ela estava apenas espelhando o Ângelo pai no Ângelo filho. E que ela não precisava se preocupar.
    
    Mas mesmo assim.
    
    Isabel tinha um pressentimento ruim com relação ao garotoManinha, gostou do macarrão?
    
    - Sim. Com molho branco fica delicioso. Qual o nome disso?
    
    - Fettucine. Quer a receita?
    
    - Claro.
    
    Foi só então que Isabel se deu conta.
    
    Onde está a Ester?
    
    - Bruna, você viu minha filha?
    
    - Ah. Ela entrou no quarto dela com o Ângelo. Ela queria mostrar um jogo para ele.
    
    - O que? E você deixou?
    
    - Irmã. Eles foram criados juntos. Para de se preocuparNesse mesmo instante, Ester estava com o Ângelo no seu quarto. Com as portas fechadas e trancadas.
    
    Ela fazia isso sempre para poder assistir os desenhos pornôs que tanto amava.
    
    Mas naquele momento ela estava apenas mostrando um jogo para seu primo. Enquanto conversava com ele.
    
    - Gostou do jogo?
    
    - Gostei. Só achei sangrento.
    
    - Ah. Mas esses são os melhores,  Ângelo. Sou viciada neles.
    
    - Soube que você também era viciada em outras coisas. Escutei boatos na escola.
    
    Ângelo era da mesma turma que Ester.
    
    - Não são boatos. É tudo verdade.
    
    Nossa priminha. Você sempre é tão direta ao ponto.
    
    Vai ser mais fácil do que eu pensei.
    
    Pai. Me olha daí de cima.
    
    Esse é o primeiro passo.
    
    Assim como você fez com a minha mãe.
    
    Eu farei com a minha prima.
    
    - Todos eles? O do corredor do banheiro. O do boquete coletivo no Bloco L. Todos eles?
    
    - Todos. E mais alguns que você nem sabe.
    
    - Uau. Mas então... Ester... Porque você nunca me chamou pra nada disso?
    
    Ester para o jogo e vira para ele.
    
    - Porque você é da família. Seria errado.
    
    - Para você? Ou para sua família?
    
    Ela agora estava rindo.
    
    - Você sabe a resposta. E ainda tive que reduzir. Me levaram num idiota de jaleco. Ele disse que sou doente. Viciada. Viciada em sexo. Então eu tive que ser mais discreta na escola. Ando muito carente agora.
    
    - Então vamos resolver isso agora.
    
    Ângelo, sem nem pensar duas vezes, coloca sua rola para fora.
    
    Ester então olha para a rola dele. Maravilhada e surpresa.
    
    Durou apenas um segundo.
    
    No outro ela está tinha caído de boca na rola dele. Ester nunca tinha mamado o pau de um negão. Era muito maior que tudo que ela já tinha chupado.
    
    (Você fala demais priminha, chupa quieta)
    
    Mas aquele era um desafio que ela estava disposta a tentar.
    
    E Ângelo só observa. Deliciado com a cena. Enquanto sua priminha chupava ...
«12»