1. Ele entrou silenciosamente e viu a namorada se masturbando. Foi até lá


    Encontro: 28/06/2018, Categorias: Heterossexual Autor: , Fonte: ContoEroticoComBr

    (escrito por kaplan)
    
    Aline estava deitada no sofá, vestindo apenas uma calcinha. Morava sozinha e estava de férias na faculdade. Sabia que Ramiro, seu namorado, logo chegaria. Ele tinha uma cópia da chave do apartamento. Seu pai, claro, nem desconfiava disso. Alugara o apartamento para a filha poder estudar na universidade federal e gostava que ela passasse as férias com a família. Ela iria, mas antes queria se despedir de forma conveniente do Ramiro, por isso o esperava.
    
    Como ele se demorasse um pouco, ela começou a ficar indócil… e sentindo vontade, enfiou a mão direita dentro da calcinha e começou a se acariciar e aquilo fez com que seu corpo pedisse mais e mais, então ela enfiou o dedo, procurando o grelinho e começou a se masturbar.
    
    E gemia baixinho, mas tão compenetrada, que nem ouviu que ele abria a porta e entrava na sala, vendo-a, admirado. Era um espetáculo e tanto o que Aline lhe proporcionava. Ficou alguns minutos apreciando, sentindo seu pau dar mostras de que estava bem vivo e entusiasmado com o que ele via. Então ele foi caminhando, sem fazer barulho, até perto dela e só quando colocou um dos joelhos no sofá, é que ela se deu conta de que ele a estava admirando.
    
    Então eles se beijaram. Beijo demorado, molhado… e a mão dele substituiu a dela na bela tarefa de deixá-la com muito tesão. Ele afastou a calcinha para o lado e seus dedos penetraram na xotinha dela, esfregando-a levemente, massageando o grelinho e os gemidos dela foram aumentando de  intensidade.
    
    O ventre dela se contraía, o corpo subia e descia, os olhos fechavam e abriam e os dedos dele entravam e saiam da xotinha, deixando-a maluca.
    
    A mão esquerda dele pegou nos seios, acariciou-os, ele os beijou, deu pequenas mordidas nos biquinhos e ela só abria e fechava a boca, incapaz de emitir qualquer som.
    
    Então ele a colocou ajoelhada e, atrás dela, começou a beijar sua bundinha, a passar a língua no reguinho, indo da xotinha ao cuzinho… e enfiava o dedo na xotinha de novo e fazia o vai e vem… e ela quase enlouquecendo de tanto tesão…
    
    Só aí é que ele tirou a calcinha dela e continuou enfiando o dedo na xotinha.
    
    – Ramiro, você está me enlouquecendo… me come direito, me devora… acaba comigo…
    
    Ele tirou a roupa. Seu pau já estava até brilhando, de tão duro. Deitou-se no sofá, com a cabeça embaixo da xotinha dela e foi a vez de a língua dele trabalhar ali.
    
    – Ahhhhh…. que delícia… eu não vou aguentar ficar um mês longe de você não, meu amor… você me dá prazer demais…ahhhhhh… to quase gozando… e você nem me comeu ainda…
    
    Gemendo sem parar, Aline olhou para trás e viu o pau dele, apontando para o teto. Era demais aquilo, ela precisava sentir aquela dureza dentro dela.
    
    – Olha seu pau, como está, Ramiro… deixa eu aproveitar dele um pouco…
    
    Ele ainda a torturou com sua língua por mais alguns minutos. Só então parou e ela pulou para perto do pau dele e começou a chupar, ensandecida. Era um pau bem grosso, apesar de não ser muito grande. Mas a grossura ...
«12»