1. Quando tinha 16 anos, fiquei nú na frente de duas senhoras.


    Encontro: 19/02/2020, Categorias: punheta., gozar, SAFADO, Novinho, Exibicionismo Masturbação IDOSAS, mature, Heterossexual Autor: Leandro Escravo, Fonte: CasadosContos

    Meu nome é Leandro, sou branco, 1,74 alt, 75kg. Corpo normal, 44 anos. Minha esposa disse que seria gostoso falar sobre minhas aventuras aqui no site.
    
    O conto que irei contar, eu estava com 16 anos, trabalhando como office-boy para uma empresa perto da Consolação , São Paulo – Capital.
    
    Minha vida era normal, trabalho, estudos, máster system. Ainda não tinha namorada e continuava virgem.
    
    Sempre tive alguns problemas, pois era tímido e sempre tive dificuldades para me relacionar com as meninas.
    
    Um dia, eu estava na Capote Valente, perto da Dr. Arnaldo, estava indo entregar álbuns documentos e depois ir encontrar uns colegas na Paulista, pois já passava das 18:00 e não precisava voltar para o serviço.
    
    Cheguei ao lugar, era um prédio tipo antigo, mas estilo de elite, não ficava porteiro, mas sim aquele chamador eletrônico. Chamo o apartamento 10: - Vim entregar os documentos para Dona Carla.
    
    - Pode subir. Era a própria.
    
    Quando chego, vejo uma senhora, em torno dos seus 65 anos, cabelos curtos tingidos de castanhos, mas que não cobriam todas as raízes brancas, era magra, acho que 1,65 alt. Muito elegante.
    
    Ela me atendeu com um sorriso simpático, me pedindo para entrar. Queria na verdade apenas entregar a papelada e sair, mas não podia ser indelicado e ter problemas depois com o patrão.
    
    Ela ofereceu uns salgados e café. Aceitei e ficamos conversando.
    
    Descobri que ela era viúva há dez anos, trabalhava com exportação de arte e também era pintora, ...
    ... escultora e professora de música.
    
    Foi nesse papo que ela falou que precisava de um modelo masculino e me convidou para fazer o papel.
    
    Na hora fiquei sem jeito, mas ela entregou uma nota de 100 e falou que depois do serviço teria a outra metade.
    
    Acabei aceitando, pois assim teria dinheiro para sair com os meus colegas. Ficamos de nos ver naquele mesmo local, no sábado.
    
    Torrei o dinheiro, curti muito aquele dia.
    
    No sábado fui lá. Dona Carla me atendeu. Ela não estava sozinha, tinha outra mulher, com pelo menos 70 anos, cabelos grisalhos, chamada Helena.
    
    Ela nos apresentou. Era sua sócia, estava lá para acompanhar os trabalhos e dar suporte caso necessário.
    
    No apartamento fui levado para uma sala, paredes brancas, um tipo de coluna pequena, menos de um metro, como se fosse da Grécia.
    
    - Muito bem Leandro, Helena vai ajudar a você ficar preparado. Tire a roupa.
    
    - Espera, eu não sabia que teria que ficar nu.
    
    -Sim, o tipo de arte que irei fazer é nu masculino, se não quiser fazer o serviço tudo bem, apenas devolva o dinheiro e acharei outro modelo.
    
    O dinheiro que torrei. Pensei: - Não tem jeito, vamos tirar a roupa.
    
    Tirei a roupa com uma lentidão, nunca pensei que fosse ser tão difícil. Deixava cada peça em cima de uma cadeira. Quando cheguei na cueca, praticamente travei.
    
    Helena veio na minha direção e disse: - Vou ajudar.
    
    Ela desceu minha cueca como se fosse a coisa mais normal do mundo.
    
    - Não se preocupe, você irá acostumar. Deixe agora ...
«123»