1. O DIA QUE VIREI PUTA DO PAI DA MINHA AMIGA.


    Encontro: 14/02/2020, Categorias: bunda grande., rabuda, novinha, Ninfeta, Heterossexual Autor: Luaninha 18, Fonte: CasadosContos

    Aqui eu ainda estava com 17 anos e ainda estava solteira, e um belo dia, eu e umas amigas resolvemos ficar uns dias na casa de campo de uma de nossas amigas. Eu e mais 3 amigas e mais um gay que sempre está conosco. Pegamos as coisas e o pai da menina que emprestou a chácara foi nos levar.
    
    Como eram só dois dias levei poucas coisas, até porque todas elas sabem que não uso roupas em casa, 2 pares de sutiã e calcinha mega atoladas, lógico, 2 shortinhos e camisetinhas.
    
    Quando o pai da minha amiga chegou na minha casa, eu estava com um shortinho bem no meio da bunda, mostrando as polpas da bundona e de top, o pai da menina que veio nos dar carona me comeu com os olhos, na mesma hora desceu correndo do carro pra me ajudar com as coisas e já manda aquele abraço apertado pra me cumprimentar, um cara mais velho todo charmoso do jeito que eu adoro, só pensei comigo, se ele ficar lá, vou provocar e não vai ser pouco, vou judiar desse cara.
    
    Chegamos lá, fiquei enrolando no carro pra ser a última a descer, e “sem querer” derrubei meu celular em baixo da camionete dele, me abaixei para pega-lo, fiquei d4 com a bunda toda empinada, encostando os peitos no chão dando visão total pra ele, olhava de lado, ele chegava a apertar o pau atrás de mim vendo meu bundão, mal consegui disfarçar. Quando “achei” o celular, olhei para ele com aquela cara de puta e disse:
    
    - Poderia ter me ajudado a achar o celular em vez de olhar para minha bunda né?
    
    Aí ele rindo respondeu:
    
    - É claro ...
    ... que poderia, mas tudo é uma questão de escolhas (olhando cada pedaço do meu corpo) e para mim, foi uma decisão bem fácil!
    
    Bom, depois disso, já fiquei toda molhada, para variar né! Resolvemos ficar do lado de fora, meio que para acampar mesmo. Lá fora da casa por um bom tempo conversando bebendo um pouco e falando merda.
    
    Sempre que podia via o pai dela indo lá na janela dar aquela espiada e sempre que eu percebia ele olhando, dava uma mexida na bunda ou nos peitos, louca para me exibir para ele. Só esperando a oportunidade. Em uma das olhadas dele, não aguentei e resolvi agir, entrei na casa para dar mais uma provocada nele.
    
    Fui até meu quarto e tirei minha calcinha e atolei bem o shortinho para deixar tudo desenhado para ele, marcando minha buceta que é bem volumosa. Entrei na sala, ele estava só de calção de jogar futebol, ele com aquelas putas pernas grossas de quem corre e bem sarado e ainda sem camisa, aí para quem me conhece e sabe que sou louca por um coroa. Meu cu nessa hora, chegou a dar uma piscada.
    
    Passei por ele rebolando tudo que podia e mais um pouco, voltei, parei bem na frente dele e disse com aquela voz de puta safada:
    
    - Onde fica o banheiro?
    
    Ele já veio perto de mim dizendo que iria me levar lá. Pegou logo na minha cintura me virou e me deixou de costas pra ele, e ele quase me enconchando. Quando chegou perto do banheiro, pegou na minha cintura de novo me virando e falando daquele jeito:
    
    Lua, qualquer coisa que você precisar é só me chamar ...
«1234»