1. VIUVINHA - Parte 04


    Encontro: 13/02/2020, Categorias: Oral Anal Heterossexual Autor: Ehros Tomasini, Fonte: CasadosContos

    A coroa Giselda estava se vestindo quando perguntou:
    
    - E então, temos um acordo?
    
    - Tenho que falar com a minha parceira, primeiro. Estamos no meio de uma investigação.
    
    - Ainda está com a morena Marisa? É ela a tua parceira?
    
    - Sim, por quê?
    
    - Nada. Achei que não estavam mais juntos. Ela te falou que tem AIDS?
    
    - Você já sabia disso?
    
    - Sim. Sabia. Mas achei que ela já era rica o bastante para querer estar nessa vida perigosa.
    
    - Rica? Como assim?
    
    - Ela nunca te contou?
    
    - Contar o quê?
    
    - Nada não. Se ela não te contou, não sou eu que irei dizer alguma coisa. A menos que você aceite o que te propus.
    
    - Eu posso perguntar pra ela do que você está falando. Ou perguntar à Bárbara. Ela também quer me contratar para matar o noivo.
    
    - Viuvinha quer te contratar? Para matar o noivo? Não caia na onda daquela catraia.
    
    - Por que não?
    
    - Você sabe por que a chamam de Viúva?
    
    - Tenho um palpite. Mas nunca procurei saber com certeza.
    
    - Meu marido a usava para sexo e para ganhar a confiança de homens casados. Ela tem um corpo irresistível e um charme especial. Logo, os homens ficavam loucos por aquela puta. Ela fazia eles deixarem as esposas para se casarem com ela. Meu marido os matava e ela recebia uma enorme quantia em dinheiro do seguro que eles faziam em nome dela.
    
    - Ouvi histórias a esse respeito.
    
    - Ela já estava podre de rica quando se apaixonou por ti, um pobretão. Meu marido quis afasta-la de você, mas ela disse que te amava. Meu ...
    ... esposo pediu que ela fizesse um último trabalho: seduzir o delegado de Polícia. Ele ficou doido por ela, mas foi quando descobriu que tinha AIDS. Por sorte, ela não havia tido relações sexuais com ele. O delegado já sabia que estava doente e evitou isso. Ele sabia que iria morrer logo. Então, aceitou o seguro que meu marido lhe ofereceu. O sujeito não tinha coragem de dizer à esposa que tinha AIDS mas queria deixar uma grana preta para ela, quando morresse.
    
    - Como a Viúva entra nessa história?
    
    - O delegado não queria definhar até a morte. E, para a esposa ganhar o seguro, ele tinha que morrer de morte matada, entende?
    
    - Ainda não.
    
    - Entende, sim. A Viúva ficou encarregada de mata-lo. Mas não teve coragem. Te contratou. Pagou um terço do que ia ganhar para você fazer o serviço que cabia a ela. Ficou com a maior parte da grana oferecida por meu marido. Aí, você fez a merda de dizer que iria denunciar tudo à Polícia. Meu marido a culpou de te ter trazido para a Agência. Ela quis sair. Ele não deixou. Foi quando eu descobri que ela estava grávida do meu marido. E que você havia matado a criança com socos na barriga dela.
    
    - Disso, eu já sei. O que aconteceu depois?
    
    - Meu marido quis te matar usando a desculpa de você ter ameaçado alcaguetar a Agência. Mas o verdadeiro motivo era que ele queria aquele filho dela e você a fez abortar.
    
    - Tem lógica no que você me diz. Mas por quê eu não posso confiar nela?
    
    A coroa esteve calada por alguns segundos. Depois, ...
«1234»