1. 35 - Gozando com a filha : a noite das taras


    Encontro: 09/10/2019, Categorias: Anal. Oral. Maduras. Oral. Comendo a Incesto. Fudendo a filha. Beijo grego. Vibradores. Morangos e chocolates., Grupal Autor: Moreno, Fonte: CasadosContos

    Depois da transa pela manhã não tivemos vontades de novas loucuras, almoçamos uma comida chinesa e dormimos – Chel na sua cama e eu e Irene na dela. Lá pelas 5, 6 da tarde acordo com um barulho na cozinha, levanto e quando chego vejo as duas cortando pedaços de frutas e carnes em cubos.
    
    - Olá dorminhoco, descansou bastante?
    
    Fala Chel com um sorriso de menina sapeca, ela me olha de cima em baixo, me admira mesmo com o rosto amarrotado e o cabelo desgrenhado.
    
    - Bem, se apronta coloca uma roupa leve solta.
    
    - Sem cueca.
    
    - Chel!! Que isso filha são modos?
    
    - Mas você não me pediu pra vestir um baby doll pretinho sem nada?
    
    - Isso é entre nós querida e não com quem...
    
    - Bobagem mãe, ele não é um estranho, é o nosso amante.
    
    Chel ri do que fala. Irene fecha a cara.
    
    - Meu amante, vamos dividir.
    
    - Com quem você prefere ficar Júlio?
    
    Eu rio sem jeito.
    
    - Viu, ele quer nós duas.
    
    - Ele não respondeu.
    
    Irene me encara com cara de brava, serão ciúmes?
    
    - Quem cala consente.
    
    Eu rio da esperteza da garota. Irene vai ficando sem jeito.
    
    - Júlio vai e se apronta vamos fazer um fondue e tem ainda muito que fazer. Sua toalha está no banheiro deixei separada.
    
    - Mas fica sem nada, tá?
    
    Faço, me banho apronto... aprontamos todos, tudo. Lá pelas 8, 9 da noite estamos sentados na sala de jantar, Irene liga os spots o que deixa o ambiente mais aconchegante, no centro da mesa uma panela laqueada borbulhante – começamos com um fondue de carne, regado  a vinho brano e alguns temperos.
    
    Visto um pijama de seda azul, Chel usa o baby doll pretinho que falou, de vez em quando lhe vejo partes dos seios e quando ela caminha o shortinho apertadinho destaca a bundinha empinada que ela tem. Irene está num robe de seda rosa, que lhe cobre parte dos braços, mas deixa as pernas visíveis, já que mal chega no meio das coxas, sinto que por baixo ambas estão como desejo, esperoServe um pouco mais mãe.
    
    - Cuidado Chel é o terceiro copo assim vai acabar passando mal.
    
    Na verdade, estamos todos meio alterados pelos efeitos da bebida. Chega a vez de servir o fondue de chocolate, juntos rearrumamos a mesa e aí começa uma noite impressionante, inesperada.
    
    A certa altura Chel desinibida e de língua enrolada me olha num olhar quente, penetrante, sua mão me toca o joelho e os dedos deslizam pela minha coxa, Irene percebe e ri um riso cúmplice, as duas se encaram.
    
    Chel enfia no espeto a metade de um morango e o molha na panela a sua frente, segundos depois morde uma parte do pedaço fumegante e me oferece o outro. Irene chega sua cadeira para mais perto de nós. Ela espeta uma fatia de banana e faz o mesmo morde e depois me passa.
    
    Mordo, mastigo…, enquanto elas me alisam o braço, o peito. Chel me beija a bochecha e o pescoço, Irene me desbotoa o pijama.
    
    - Querido se não topar tudo bem, mas a gente quer uma noite especial.
    
    - Louca! Tarada.
    
    - A proposta é você fazer tudo que a gente quiser, mandar. Topa?
    
    - Como assim?
    
    - ...
«1234»