1. Me Dei de Presente Para o Meu Pai.


    Encontro: 10/09/2019, Categorias: incesto;Traição / Corno;mamada, Autor: vitoria di madrid, Fonte: CasadosContos

    agora na cabeceira da cama para aguentar as estocadas potentes. Oras ele parava para pegar e amassar meus peitinhos ou para acariciar minhas costas macias e depois voltava a meter nova-mente. Para ajudar eu rebolava os quadris para os lados e vinha de ré para a minha bunda bater na viri-lha dele quando fosse metendo. E nesse vai e vem louco eu gritei gozando enquanto tomava no cu. E ele continuou fodendo gostoso até que anunciou seu magnífico gozo. E não demorou muito para ele derramar aquele montão de esperma que brotava do pau dele lá bem no fundo do meu cuzinho. Dava pra sentir as jorradas mornas. E o mais excitante e delicioso para mim era ouvir os gritos de prazer di-zendo que estava gozando dentro daquele cuzinho delicioso e apertadinho.
    
    Quando ele tirou o pauzão de dentro do meu cu, me virei e disse: -“Poxa, pai... o senhor tá tão gostoso”. Sem perder tempo, peguei o pau e, como estava limpinho, não hesitei e meti-o na boca. Ele gemeu gostoso e eu comecei a mamar devagar... sem forçar a barra afinal ele tinha terminado de gozar. Tratei de chupar carinhosamente sem deixar triscar meus dentes na pica. E fui devagar. Ia metendo na boca devagarinho até a cabeça encontrar minha garganta. Os gemidos do meu pai me faziam tão bem. Faziam eu me sentir mais mulher; faziam eu me sentir mais tarada e fogosa como uma deusa do sexo. Me faziam eu me sentir sedutora. Manipulei com todo o carinho aquela bolas pequenas e duras. Eu sabia que ele estava ficando louco de tesão. Eu  queria fazer ele sentir mais e mais desejos por mim. Acariciava as coxas dele, a barriga... brincava com os mamilos durinhos... azunhava ele lentamente. Vi-nha azunhando lá do peito até à pica. Me lembrei que aprendi muito a mamar numa pica vendo o traba-lho da Mia Khalifa. Minha ídola. Amo aquela mulher. Mas nesse momento delicioso e único, eu era mui-to melhor do que ela. O pau dele ficou gostosamente duro. As veias novamente inchadas. Ai, meu Deus, que delícia! – “Padre ... tu pica ... está todo delicioso...” Mas ele gemia tanto que nem entendeu o que eu sussurrei olhando para ele da maneira mais sedutora que eu conseguia. Muitas vezes ele me pedia para falar em português pois nunca aprendera o espanhol.
    
    Quando senti que ele estava pronto, comecei a chupar com força mesmo e a maltratar do jeito que eu gosto. Deixava meus dentes triscarem com força na pica dele fazendo-o gemer mais alto e a gritar.- “Usted tendrá que aguantar a su hijo”, sussurrei com aquela cara de raiva. A falsa raiva. Eu gosto de judiar com um macho. E pela primeira vez ouvi ele dizer, entre gemidos: -“Ai, filhota... você está tão safadinha... tão... putinha... aaaaaaahhhhh...”
    
    Agora eu mordia a pica e chupava ao mesmo tempo. Apertava com força. Azunhava com força até que ele tomou a atitude que eu queria. Tirou a pica da minha boca, me puxou pelo cabelo, me deitou na cama com força, arreganhou minhas pernas e meteu aquela pica dura e gostosa com força de uma vez na minha buceta. Eu dei um grito e me ...
«1...345...»