1. Me Dei de Presente Para o Meu Pai.


    Encontro: 10/09/2019, Categorias: incesto;Traição / Corno;mamada, Autor: vitoria di madrid, Fonte: CasadosContos

    Boa noite, fãs brasileiros. Adoro vocês.
    
    Bem, hoje é noite de domingo.Ano de 2018, Dia dos pais. Nunca mais vou esquecer essa data. Estou aqui na cama, sentadinha e escrevendo. Escrevendo o que eu fiz hoje de manhã com o papai. Eu já tinha dito para mim mesma que não faria mais sexo com ele por ele viver com outra mulher. A minha maior inimi-ga. Mas eu estou muito feliz por ter trepado com ele na casa dela. Na cama dela. É para ela ficar sabendo que homem é tudo igual.
    
    Bem aqui do meu lado está a Wal, a minha amiga que dorme aqui em casa comigo. Essa garota é uma figura. Dia desses vou arranjar um dos meus contatos para dar umas “pombadas” bem gostosas nela. Talvez ela me esqueça.
    
    Bem vamos começar. No sábado de manhã fui comprar um perfume bem gostoso para o papai e um creme para o corpo que ele gosta. E caro. Quase duzentos reais. E comprei um mais barato para dar de presente para a Wal cujo mesmo ela daria para o pai dela. Papai saiu de casa e foi morar com a namo-rada na casa dela já que eu e ela não nos entendemos. Ele vem todos os dias para trabalhar na nossa panificadora. Eu fiquei na nossa casa que fica na parte de cima da panificadora. E quando o marido da Wal viaja, ela vem dormir comigo. No sábado à noite eu liguei para o papai e disse que no domingo iria levar o presente dele. Ao que ele me respondeu:
    
    - Vem, filhota. Ela vai passar o dia com os pais dela. Aí você vem de manhã e à tarde eu vou visitar meu pai também.
    
    Fiquei radiante. Estava à  mil. Imediatamente me veio aquele tesão que estava adormecido. Nun-ca mais eu tinha sentido vontade de dar para o papai. Mas naquele momento fiquei pensando no quan-to ele tinha um pau gostoso e duro. Não custava nada tentar seduzi-lo e meter um chifre na safada que havia tirado meu pai de mim. Eu odiava aquela sujeita. Por que será que nem uma carreta carregada de cimento passava por cima daquela imunda?
    
    No domingo de manhã eu acordei cedo, tome um banho gostoso e demorado. Passei creme no meu corpinho todo. Fiquei deliciosamente de pele macia e cheirosa como sempre. Lembrando que na noite passada, antes de dormir, eu depilara minha buceta e as axilas. Só não depilei o cuzinho. Mas isso não tem nenhum problema porque é bem pouco pelo.
    
    Agora no domingo vesti uma calcinha vermelha bem minúscula e não quis sutiã. Gosto de sentir os biquinhos dos meus peitinhos roçando na blusa. Vesti uma sainha rodada, mas curta e uma blusinha folgada e curtinha que deixa o meu umbiguinho à mostra. Adoro. Depois do café peguei a sacola com os presentes e fui ao encontro do meu pai. Eu sei que ele acorda cedo e aquele horário ele já estaria de pé com certeza. Eu só não queria ter o desprazer de encontrar com a namorada dele.
    
    Lá chegando bati na porta e ele veio me atender. Estava de banho tomado como eu previra. Sem camisa. Fiquei louquinha de tesão. Fazia tempo que eu não o via assim tão bonito. Passei a mão lenta-mente pelo peito dele e fui descendo pela barriga... e descendo... e ...
«1234...7»