1. UMA FODA COM A ESPOSA COROA E GORDINHA! 1


    Encontro: 13/08/2019, Categorias: Coroas, Autor: gogofredo, Fonte: ContoErotico

    FODENDO A ESPOSA COROA E GORDINHA!
    
    Depois de ficarmos quase 09 anos sem transar, eu e minha esposa resolvemos tentar novamente, ela estava viajando e eu mandei uma mensagem propondo que ela fosse minha Amante, (vide contos: MINHA ESPOSA, MINHA AMANTE, PARTES 1 E 2), infelizmente ela não teve pique, nem coragem pra manter a promessa de ser minha amante e menos de duas semanas depois resolveu ser a esposa de sempre, quebrando qualquer excitação ou tesão que pudéssemos ainda desfrutar nesses últimos anos de vida ativa sexual que ainda podemos ter.
    
    Ficamos então quase duas semanas sem trocar um pequeno beijo e sem conversar, pois eu estava decepcionado e muito puto com ela. Pra piorar, a relação virtual que estava tendo com outra mulher, de 52 anos, de um site de contos pornográficos, também estava uma merda. Ela me deixava na mão (literalmente), esperando horas, entre uma ligação ou mensagem. Já estava desistindo dela também e me resignar a não transar nunca mais.
    
    Porque não transar nunca mais? Tenho 63 anos, 1,70 m, 78 kg, já fui muito bonito, mas o tempo cobra na cara e no desempenho físico todos os sacrifícios feitos durante a vida, enfim eu não estava mais dando no couro na cama, o pau endurecia mas, com poucas bombadas voltava a amolecer. Um remedinho até ajudava um pouco, mas era necessária uma previsão de que foderia naquele dia, pra toma-lo algum tempo antes, e eu fui pego de surpresa naquele sábado à noite.
    
    Assim como eu, minha esposa também tem 63 anos, 1,57 m de altura e quase 90 kg, ainda tem uma bunda bem carnuda e gostosa, seios fartos com grandes aureolas cor de rosa e mamilos pontudos, meio caídos, mas bons pra chupar e apertar, as coxas grossas, cabelos castanhos, na altura do ombro, ainda é bonita, lembrando uma senhorinha, mãe e avó. Não precisa dizer que, com esse peso, é difícil fazer certas posições, que são até mais excitantes pra um cara caidão como eu. Voltemos àquele sábado á noite.
    
    Passava da 0:30 h, madrugada de sábado pra domingo, minha esposa subiu pra tomar banho e dormir, no seu quarto, já que dormimos em quartos separados, mas fez questão de dar-me um beijo gostoso, depois de quase duas semanas sem trocarmos nenhum, não captei o sinal de “perigo”! Resolvi assistir mais um pouco de televisão, deitado no chão da sala.
    
    Estava entretido vendo um programa qualquer, quando minha esposa apareceu no alto da escada, vestindo uma pequenina camisola preta, com uma tanguinha de rendas presta. Olhei e vi aquele olhar de femea querendo meter, pensei comigo mesmo:
    
    -“FODEU!” – Já que não tinha tomado nenhum comprimido pra ajudar.
    
    Minha esposa foi se achegando, e deitou sobre mim pra beijar-me, foi um beijo guloso, gostoso, nossas línguas duelavam e eu sentia meu pau tentando dar sinais de vida, só que o peso do corpo impedia que ele crescesse. Peguei então num dos seios e fiz um pequeno carinho, sentindo o mamilo pontudo, querendo mais do que simples caricia.
    
    Afastei-a do beijo e puxei a alcinha da ...
«123»